Aniversariantes: C. Meireles, Dostoiévski, Saramago, Liane Moriarty e Viagem ao Centro da Terra

Atualizado: 15 de Jan de 2019


Cecília Meireles



Escritora, poeta, pintora, professora e jornalista, Cecília Meireles é nossa a primeira aniversariante do mês. Nascida em 7 de novembro de 1901, Cecília é considerada um dos mais importantes nomes da poesia brasileira.

Desde pequena, a autora demostrava seu interesse pela literatura, começando a escrever poesias a partir dos 9 anos. Em 1919, aos 18 anos, lança o livro de poesias Espectros, de caráter simbolista.

Entre seus mais honrosos prêmios, estão o Prêmio de Poesia Olavo Bilac, o Prêmio Jabuti e o Prêmio Machado de Assis.

A autora faleceu em sua cidade natal, Rio de Janeiro, aos 63 anos vítima de câncer.


Sinopse*: Escolha o Seu Sonho



considerada uma das maiores poetas da moderna poesia em língua portuguesa, Cecília Meireles é inigualável pela delicadeza de seus versos. Seu lirismo é singular. E essa mesma singularidade está presente nas quarenta e cinco crônicas de Escolha o seu sonho, nas quais de forma única em nossa literatura, a poeta aborda, em textos curtos, elementos e acontecimentos que partem de um cotidiano rotineiro e criam asas, vidas, cores... Da vida real, saltam para o universo mágico e para o terreno dos sonhos. Ao se referir à prosa de Cecília Meireles, com ênfase em sua atividade de cronista, o professor e crítico literário Leodegário A. de Azevedo Filho destacou o estilo “inconfundível, sobretudo pela leveza da linguagem e pelo sentimento do mundo, tudo envolto no tempo humano, que nada tem a ver com folhinhas ou calendários”. E ainda afirmou que, com tais elementos, a autora se afasta “do espírito de reportagem, conferindo alto valor literário a suas crônicas, sempre perplexa diante do espetáculo da vida, dos seres e das coisas, mas também às vezes revoltada, contra o desconcerto do mundo e as injustiças sociais”. Com muita imaginação e a sabedoria própria dos clássicos, em Escolha o seu sonho Cecília Meireles confronta e mapeia nossos anseios e limites. “Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim”.


Fiódor Dostoiévski


Nascido em 11 de novembro de 1821 em Moscou, os famosos escritos de Dostoiévski são dotados de um tema psicológico que se aprofunda na alma humana, o tornando um dos mais influenciadores do Romance no século XX.

Dostoiévski publicou seu primeiro romance em 1846, aos 25 anos, já sendo considerado por muitos críticos como um novo talento da literatura russa.

Em 1849 foi condenado a morte, acusado de participar de um grupo de radicalistas. Contudo, recebeu pena de trabalho na Sibéria, pouco antes de ser fuzilado. Retorna 10 anos após a São Petersburgo, iniciando o processo de transformação psicológica que o tornou famoso na literatura.

O reconhecimento mundial veio a partir de 1860 com as publicações de O Idiota, Crime e Castigo e Irmãos karamazov, sendo o último considerado por Freud como o melhor romance já escrito.

Sinopse*: O Idiota


Um dos mais cultuados romances de Dostoiévski, O idiota narra a história do humanista e epilético Príncipe Míchkin, uma mistura de Cristo e Dom Quixote. A relação entre Míchkin, o mundano Rogójin e a bela Nastácia Filíppovna revelará ao leitor como em um mundo obcecado por dinheiro e poder, o sanatório parece ser o único lugar para um santo.











Liane Moriarty


Nascida em Sydney, Austrália em 15 de novembro de 1966, a escritora Liane Moriarty ficou conhecida mundialmente pelo aclamado livro Pequenas Grandes Mentiras.

O livro deu origem a série da HBO Big Little Lies, ganhador do Globo de Ouro de Melhor minissérie ou filme para a televisão e melhor atriz para Nicole Kidman.


Sinopse*: Pequenos incêndios por

Em Shaker Heights tudo é planejado: da localização das escolas à cor usada na pintura das casas. E ninguém se identifica mais com esse espírito organizado do que Elena Richardson.

Mia Warren, uma artista solteira e enigmática, chega nessa bolha idílica com a filha adolescente e aluga uma casa que pertence aos Richardson. Em pouco tempo, as duas se tornam mais do que meras inquilinas: todos os quatro filhos da família Richardson se encantam com as novas moradoras de Shaker. Porém, Mia carrega um passado misterioso e um desprezo pelo status quo que ameaça desestruturar uma comunidade tão cuidadosamente ordenada.

Eleito nos Estados Unidos um dos melhores livros de 2017 por veículos como Entertainment Weekly, The Guardian e The Washington Post, Pequenos incêndios por toda parte explora o peso dos segredos, a natureza da arte e o perigo de acreditar que simplesmente seguir as regras vai evitar todos os desastres.


José Saramago


Após o reconhecimento mundial de Camões na poesia em língua portuguesa, José Saramago, nascido em 12 de novembro de 1922, é o grande representante da prosa efetivamente reconhecida em português.

De família com origem agricultora, Saramago passou grande parte da vida em Lisboa, demonstrando desde criança um grande interesse pelos estudos da cultura e da literatura. O autor não pode frequentar cedo a universidade, estudando em escolas técnicas e trabalhando como serralheiro. Estreou na literatura em 1947 com o romance Terra do Pecado e passou a colaborar com vários jornais e revistas da época, pertencendo à primeira Direção da Associação Portuguesa de Escritores.

Nos deixando uma obra brilhante, José Saramago faleceu em 2010, vítima de uma leucemia.


Sinopse*: O Homem Duplicado



O professor de história Tertuliano Máximo Afonso descobre, certo dia, que é um homem duplicado. Ao assistir a um vídeo, ele se reconhece em outro corpo, idêntico ao dele próprio: um dos atores do filme é seu sósia. Os desdobramentos dessa história são imprevisíveis. Mas o novo romance de José Saramago, esclareça-se logo, não tem nada a ver com clonagem ou outras experiências de laboratório. O que está em jogo é a perda de identidade numa sociedade que cultiva a individualidade e, paradoxalmente, estabelece padrões estreitos de conduta e de aparência. Os romances recentes do escritor português retratam uma época de transformações que, para boa parte da humanidade, resultam mais em perdas que em ganhos. Em Ensaio sobre a cegueira, os personagens perdem a vista, sinal de um tempo em que todos parecem estar cegos. Em A caverna, artesãos perdem o emprego, incapazes de sobreviver à sociedade de consumo. Em O homem duplicado, José Saramago constrói uma ficção extraordinária, apoiada numa questão extremamente atual e inquietante: a perda de identidade no mundo globalizado.




Aniversário de publicação: Viagem ao Centro da Terra


“Vamos descer, descer, sempre descer! Como sabe, para chegar ao centro do globo temos apenas mais seis mil quilômetros a atravessar!”

Em 1863 o renomado professor Otto Lidenbrock, geólogo e mineralogista, descobre uma mensagem cifrada descrevendo uma viagem ao centro da Terra. É o quanto basta para o impetuoso cientista se lançar na mesma aventura – levando consigo o sobrinho Axel, colega de profissão mas defensor de diferentes teorias científicas, e o impassível Hans, guia que se mostrará indispensável para a empreitada e seu espantoso desfecho!

Rios de lava, mares subterrâneos, os primórdios da vida no planeta, fauna e flora pré-históricos, múmias de homens primitivos... Fruto da imaginação e do conhecimento de um dos pais da ficção científica, Viagem ao centro da Terra é uma das obras mais originais e ousadas de seu tempo. Essa edição traz texto integral, excelente apresentação, cerca de 30 ilustrações originais, mais de 150 notas e cronologia e obra de Jules Verne – um dos escritores mais traduzidos em toda a história.


Publicado pela primeira vez em 25 de novembro 1864, o clássico de Jules Verne completa esse ano 154 anos! A obra já se tornou cânone de aventura e da ficção cientifica, ganhando várias adaptações até hoje.

Odisseia - consultoria literária e linguística

Rua Sérgio Buarque de Holanda, 571 Campinas, SP

(19) 996 356 627