• Lorena de la Torre

Escrevendo histórias de fim de ano

Você já entrou no clima de natal?


gif

Esses meses que antecipam as festas de fim de ano são, com toda a certeza, uma época cheia de sonhos e esperanças para muita gente. A perspectiva de encontrar a família e os amigos — além dos dias de descanso no recesso de fim de ano — nos enchem de alegria.


Também há quem não goste dessa época do ano; se for esse o caso, não vá, esse texto também é para você!


Bom, há uma infinidade de histórias de natal; podemos encontrar filmes e livros do tema em muitos lugares. Mas, muitas vezes, elas acabam sendo um tanto quanto repetitivas e previsíveis…




Afinal, o que faz uma boa história de natal?


Antes de mais nada, sem sombra de dúvidas, o principal elemento de um conto de natal é o fato de que a narrativa (ou uma parte significativa dela) ocorre durante essa data comemorativa!

Dizer isso pode ser óbvio, eu sei, mas a grande questão que define esse gênero é o tema da data comemorativa, não outras características narrativas; mesmo que existam alguns clichês.


Sim, quando ligamos a TV durante o fim de ano, não faltam comédias e comédias românticas. Talvez, realmente, esses gêneros sejam mais frequentes, mas isso não quer dizer que sejam a única opção.



Um exemplo de narrativas únicas de natal são as histórias da Agatha Christie, como o O Natal de Poirot ou A Aventura do Pudim de Natal.



De qualquer forma, não é nenhum problema optar por escrever histórias mais convencionais, afinal, muitos gostam delas.


Vale lembrar, porém, que histórias de natal costumam dar uma grande ênfase no crescimento das personagens independente do gênero, narrando como elas superam as dificuldades (particularmente emocionais) sendo movidas pelo espírito festivo ou “natalino”,


Neste caso, dê uma atenção especial para o desenvolvimento dos seus personagens. Como a narrativa será bem íntima e subjetiva, a melhor maneira de fugir dos clichês é criar protagonistas tridimensionais e convincentes, cujas emoções e pensamentos sejam únicos.


Caso você queira saber mais sobre o processo de construção de personagens, sugerimos alguns posts:

Na cabeça do personagem: um olhar sobre o Fluxo de Consciência

Dicas de Escrita: desenvolvendo um personagem

Escrita Criativa: personagens e estereótipos

Escrita Criativa: 7 dicas de como desenvolver seu personagem


Neve no brasil?

Além de tudo, existe uma série de estereótipos de natal vindos de uma realidade cultural e geográfica muito diferente da que muita gente vive — como as chaminés e a neve.


Optar por usar esses elementos não é um problema. Porém, vale refletir por que optamos por representar essa data comemorativa tão querida de uma forma que não reflete a realidade em que vivemos.


Nesse sentido, às vezes sentimos falta de histórias de natal que sejam mais autênticas nos seus olhares, trazendo a pluralidade da experiência dos autores. Como Chimamanda Adichie explica em seu conhecido TedTalk, há uma grande potência em contar a sua história.


O vídeo A MELHOR HISTÓRIA DE NATAL é um ótimo exemplo de histórias nacionais interessantíssimas!


Para finalizar, um exercício de escrita

Para colocar um pouco em prática tudo o que discutimos, deixo para um desafio para você:

Escreva uma história de natal. Ela pode ser de qualquer gênero — terror, suspense, romance —, mas tem que ter um fim inusitado.


Se quiser mande pra gente o resultado pelo nosso instagram (@odisseiaconsultoria).


Algumas (muitas) indicações de leitura

A seguir você pode encontrar uma série de links para recomendações de histórias de natal que podem te inspirar:


Gostou do post?


A Odisseia oferece serviços de tutoria em escrita criativa, em que acompanhamos e direcionamos autores durante a escrita da obra, auxiliando nas dúvidas de escrita e ajudando as ideias a saírem da cabeça e partirem para o papel. Venha dar uma olhada e já passe para checar nossas outras redes sociais!



Confira os nossos serviços:


https://www.odisseiaconsultoria.com/tutoria-escrita-criativa

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo