QUINTAS GRAMATICAIS: Anáfora




Mais uma quinta-feira e mais uma viagem incrível pelas figuras de linguagem. Essa semana iremos explicar um pouquinho sobre a anáfora, uma figura de repetição muito utilizada na poesia e em letras de música. Não precisa se assustar, a anáfora é muito fácil! Essa figura de linguagem se caracteriza pela repetição de algumas palavras no início das orações ou versos, dando muito mais força e enfase para a mensagem que se deseja passar.


Veja alguns exemplos de anáfora na poesia:


1- (E agora, José? - Carlos Drummond de Andrade)

Se você gritasse,

se você gemesse,

se você tocasse

a valsa vienense,

se você dormisse,

se você cansasse,

se você morresse…

Mas você não morre,

você é duro, José!



2- (“Poema da Necessidade”, Carlos Drummond de Andrade)

"É preciso casar João,

é preciso suportar, Antônio,

é preciso odiar Melquíades

é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,

é preciso crer em Deus,

é preciso pagar as dívidas,

é preciso comprar um rádio,

é preciso esquecer fulana.

É preciso estudar volapuque,

é preciso estar sempre bêbado,

é preciso ler Baudelaire,

é preciso colher as flores

de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens

é preciso não assassiná-los,

é preciso ter mãos pálidas

e anunciar O FIM DO MUNDO."



Veja alguns exemplos de anáfora na música:


1- Roda Viva (Chico Buarque)

Tem dias que a gente se sente

Como quem partiu ou morreu

A gente estancou de repente

Ou foi o mundo então que cresceu

A gente quer ter voz ativa

No nosso destino mandar

Mas eis que chega a roda-viva

E carrega o destino pra lá

Roda mundo, roda-gigante

Rodamoinho, roda pião

O tempo rodou num instante

Nas voltas do meu coração.



2 - Águas de Março (Tom Jobim)

"É o pau, é a pedra, é o fim do caminho

É um resto de toco, é um pouco sozinho

É um caco de vidro, é a vida, é o sol

É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol

É peroba no campo, é o nó da madeira"


Por que exemplo bom também é exemplo em quantidade, veja a anáfora nos quadrinhos:





Odisseia - consultoria literária e linguística

Rua Sérgio Buarque de Holanda, 571 Campinas, SP

(19) 996 356 627